AS BODAS DE CANÁ - POR SÃO JOSEMARIA ESCRIVÁ - FUNDADOR DA OPUS DEI

11/05/2011 15:34

“No episódio das bodas de Caná”, disse o Papa em 1997, “São João apresenta a primeira intervenção de Maria na vida pública de Jesus e põe em destaque a sua cooperação com a missão do seu Filho”. Apresentamos textos de São Josemaría sobre o segundo mistério luminoso do Rosário.

Opus Dei - As
bodas de Caná

As bodas de Caná

EVANGELHO DE SÃO JOÃO:
Três dias depois, celebravam-se bodas em Caná da Galiléia, e achava-se ali a mãe de Jesus. Também foram convidados Jesus e os seus discípulos. Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-lhe:
— Eles já não têm vinho.
Respondeu-lhe Jesus:
— Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou.
Disse, então, sua mãe aos serventes:
— Fazei o que ele vos disser.
Ora, achavam-se ali seis talhas de pedra para as purificações dos judeus, que continham cada qual duas ou três medidas. Jesus ordena-lhes:
— Enchei as talhas de água.
Eles encheram-nas até em cima.
— Tirai agora — disse-lhes Jesus — e levai ao chefe dos serventes.
E levaram. Logo que o chefe dos serventes provou da água tornada vinho, não sabendo de onde era (se bem que o soubessem os serventes, pois tinham tirado a água), chamou o noivo e disse-lhe:
— É costume servir primeiro o vinho bom e, depois, quando os convidados já estão quase embriagados, servir o menos bom. Mas tu guardaste o vinho melhor até agora.
Jo 2, 1-10

TEXTOS DE SÃO JOSEMARÍA:
Entre tantos convidados de uma dessas ruidosas bodas do meio rural, a que comparecem pessoas de vários povoados, Maria percebe que falta vinho (cfr. Jo 2, 3). Só Ela o percebe, e sem demora. Como se nos revelam familiares as cenas da vida de Cristo! Porque a grandeza de Deus convive com as coisas normais e comuns. É próprio de uma mulher e de uma solícita dona de casa notar um descuido, prestar atenção a esses pequenos detalhes que tornam agradável a existência humana: e foi assim que Maria se comportou.

 

— Fazei o que Ele vos disser (Jo 5, 2).
(...)
Se a nossa fé for débil, recorramos a Maria. Conta São João que, devido ao milagre das bodas de Caná, que Cristo realizou a pedido de sua Mãe, os discípulos creram nEle (Jo 2, 11). A nossa Mãe intercede sempre diante do seu Filho para que nos atenda e se nos revele de tal modo que possamos confessar: Tu és o Filho de Deus.

— Dá-me, ó Jesus, essa fé, que de verdade desejo! Minha Mãe e Senhora minha, Maria Santíssima, faz com que eu creia!
Santo Rosário, Apêndice, 2º mistério da luz

Fazei o que Ele vos disser
São João conserva no seu Evangelho uma frase maravilhosa da Virgem, num episódio que já consideramos antes: o das bodas de Caná. Narra-nos o evangelista que, dirigindo-se aos criados, Maria lhes disse: Fazei o que Ele vos disser (Jo 2, 5). É disso que se trata: de levar as almas a situar-se diante de Jesus e a perguntar-lhe: Domine, quid me vis facere?, Senhor que queres que eu faça? (At 9, 6)

O apostolado cristão - e refiro-me agora, especificamente, ao apostolado de um simples cristão, ao de um homem ou mulher que vive como outro qualquer entre os seus iguais - é uma grande catequese em que, através do relacionamento pessoal, de uma amizade leal e autêntica, se desperta nos outros a fome de Deus e se ajuda cada um a descobrir novos horizontes - com naturalidade, com simplicidade, como disse, com o exemplo de uma fé bem vivida, com a palavra amável, mas cheia da força da verdade divina.

Sejamos audazes. Contamos com o auxílio de Maria, Regina Apostolorum. E Nossa Senhora, sem deixar de se comportar como Mãe, sabe colocar os seus filhos em face de suas precisas responsabilidades. Aos que dEla se aproximam e contemplam a sua vida, Maria faz sempre o imenso favor de os levar até à cruz, de os colocar bem diante do exemplo do Filho de Deus. E nesse confronto em que se decide a vida cristã, Maria intercede para que a nossa conduta culmine com uma reconciliação do irmão menor - tu e eu - com o Filho primogênito do Pai.

Muitas conversões, muitas decisões de entrega ao serviço de Deus foram precedidas de um encontro com Maria. Nossa Senhora fomentou os desejos de procura, ativou maternalmente as inquietações da alma, fez ansiar por uma mudança, por uma vida nova. E, assim, aquele "fazei o que Ele vos disser" converteu-se em realidades de amorosa entrega, em vocação cristã que ilumina desde então toda a nossa vida.

FONTE:http://www.opusdei.org.br

Voltar